domingo, 3 de junho de 2012

Cadeado

Trancou a escritora em casa e foi pra rua trabalhar. Tratou de abrir os olhos e um sorriso, mas fechou ouvidos e punhos, de modo que qualquer raciocínio escorregasse pela pele, sem aderência nem eco. As cenas que lhe passavam coloridas não faziam sentido. A ordem era sorrir e seguir em frente.

Trancada a pensadora no quarto, pôde seguir na direção do barulho. Tudo para não ouvir seu turbilhão, ligada num piloto automático que sorria como maquininha de soltar bolhas. Piada sem graça do cliente, hahaha. Pedido idiota do chefe, hahaha. Prazo impossível do outro departamento e mais algumas risadas saíam sem som, quase cronometradas.

Ato contínuo, chegou em casa ainda sorrindo, embora não soubesse por quê.

Ao abrir a porta, foi surpreendida por uma mulher aflita, que caiu no choro sem fim. E enquanto chorava, falava. Eram mais que frases, eram versos. Em poucos minutos ela já tinha dito um livro inteiro.

Antes de ouvir a última página, adormeceu exausta. Sem pensar nem sentir.

No dia seguinte ela acordaria mais uma vez. Para então decidir qual das duas sairia de casa.

14 comentários:

  1. Lindo Cris, nós mulheres de hoje em dia travamos lutas diárias para decidir em qual delas realmente vale a pena acreditar. Beijocas. Bel

    ResponderEliminar
  2. Me vi neste texto...nós e nossas "máscaras" que às vezes, é impossível não usá-las.

    Beijo, Cris!

    ResponderEliminar
  3. Cris Guerra Bravo (ADOREI) minha musa!

    Retratou exatamente como sinto na maioria das vezes.

    Beijos. Com amor.

    Maite.

    ResponderEliminar
  4. Retrato fiel de tantos dos meus dias... acredito que de todas nós! Lindo texto!
    Bjos,
    Camila.

    http://camila-entrequatroparedes.blogspot.com.br/2012/06/vergonhosa-saude-do-brasil.html

    ResponderEliminar
  5. Adorei! E me identifiquei imediatamente :)
    bjo

    ResponderEliminar
  6. maravilhoso! traduziu poeticamente a luta diária (pelo menos a minha!)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Navegando pelos blogs encontrei o seu, me deixou maravilhado pelo que escreve, também é uma bênção para mim. Gostei de poder encontrar pessoa que ama Jesus, e pela escrita também ama o próximo. Que o Senhor Jesus continue a derramar Sua bênçãos sobre sua vida, não poderia de deixar um convite: Tenho um blog O Peregrino e Servo, e pessoas como você me fazem falta como amigos, por isso se desejar fazer parte de meu blog eu ficaria radiante, de seguida irei retribuir seguindo também seu blog. Obrigado e as maiores bênçãos de Deus para si e família. António Batalha.

    ResponderEliminar
  8. Hum... pesado... verdadeiro... afável... sufocante.
    Belissimo...

    ResponderEliminar
  9. Teu blog é ótimo, parabéns!

    Vem conhecer o meu:
    leiakarine.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. SEM PALAVRAS. Parece que vc entrou dentro de mim, morou aqui por 5 anos, e saiu. Ai escreveu esse texto, como se quisesse contar um pouco de mim. E pelo visto, de um milhao de outras mulheres...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
      PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

      Eliminar
  11. Escreva, na sola do pé esquerdo, o nome da pessoa amada e aperte no chão dizendo três vezes: Debaixo do meu pé esquerdo, te prendo, te amarro e te mantenho pelo poder das treze almas benditas. Que assim seja. Que você venha me procurar em 24 horas, dizendo que me ama e quer ficar para sempre comigo. Enquanto você não vier, não irá comer, não irá dormir e nem irá ter vontade de outro homem a não ser eu.
    Assim seja e assim será.
    (Publicar quatro vezes e não revelar o sonho dessa noite a ninguém)

    ResponderEliminar