quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ausência.

Ele mantém a cabeça ocupada, como se assim evitasse a doença do amor. Para não pensar no que já lhe tomou todo o corpo. E assim se divide em dois. Dois ou mais. Nunca está inteiro. Nunca está. Como se já se tivesse ido também. Mas há uma dor em suportar sua própria ausência. O que lhe parecia remédio agora dói. E não cura.

14 comentários:

  1. Suportar a dor é remediar, não cura, algumas vezes nem alivia e soprando arde.

    beijos carinhosos,

    ResponderEliminar
  2. Nossa amei, é perfeita sua descrição, me fez lembrar de uma pessoa...

    Bjs

    Fica com Deus!

    ResponderEliminar
  3. 'O que lhe parecia remédio agora dói. E não cura.'


    Choquei, coração ;)

    ResponderEliminar
  4. É impressionante como sua escrita é tocante, e doce.. acompanho seus blogs diariamente! parabéns e obrigada por proporcionar tão boa leitura!

    ResponderEliminar
  5. Parabens seu blog eh mt bom!

    Adoro ler seus posts..

    ResponderEliminar
  6. por que é cris... que dói tanto as vezes... amar? que significa amar na 3ª dimensão? flores pra tua ausência.

    ResponderEliminar
  7. Olá

    Você tem um belo blog,com posts inteligentes e belas imagens,adorei.
    Espero sua visita e se por acaso quiseres me seguir, ficarei muito feliz e te seguirei também.

    http://amigadamoda.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Saudade daqui. Adoro suas metáforas simples e geniais. Deve ser o amor e pronto.
    inté

    ResponderEliminar
  9. Parabéns pelo blog e principalmente por este post. Curto, no entanto demonstra uma ausência que me é presente hoje.

    ResponderEliminar
  10. E dói, e como dói. No meu caso não me escondo no trabalho, me escondo na solidão de ser eu só.

    ResponderEliminar